Prefeitos pedem corte de 50% no diesel para baixar tarifa de ônibus

Reunidos na capital baiana para discutir o valor da tarifa de ônibus, prefeitos de 12 capitais brasileiras querem, como medida de emergência, a redução de 50% no preço do óleo diesel para o sistema de transporte coletivo. "Essa medida reduziria de imediato em 10% o preço da passagem", assinalou o prefeito de Curitiba, Cássio Tanaguchi (PFL) Por exemplo, a tarifa de ônibus da capital paranaense baixaria dos atuais R$ 1,65 para R$ 1,5. A reunião foi convocada pelo prefeito de Salvador Antonio Imbassahy (PFL) para discutir a situação do sistema de transporte coletivo das grandes cidades após os distúrbios promovidos no inicio no mês na capital baiana por estudantes secundaristas, insatisfeitos com o aumento da tarifa de ônibus na cidade. Enquanto os prefeitos se reuniam pela manhã no Hotel Sofitel, situado no Bairro de Itapuã, extremo norte de Salvador, no centro da cidade um grupo de estudantes promovia mais um protesto para chamar a atenção dos prefeitos, realizando uma passeata na avenida que margeia o Dique do Tororó, próximo à saída da Estação da Lapa, causando enorme engarrafamento na área. Para compensar uma eventual perda de receita na comercialização dos combustíveis com a eventual redução do diesel, César Maia (PFL) do Rio de Janeiro e Pedro Wilson (PSDB) de Goiânia defendem que, se for necessário, o preço do litro da gasolina seja aumentado em 3%. O prefeito Tanaguchi lembrou que na década de 80, devido à crise do petróleo, o governo federal reduziu o preço do diesel para o transporte urbano. "Não há razão que isso não seja decretado de novo diante da situação do sistema de transporte do País onde existem 57 milhões de excluídos que não conseguem pagar transporte coletivo", argumentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.