Prefeitos pedem obras de emergência na BR 116

Prefeitos do Vale do Ribeira, na região sul do Estado, vão pedir a interferência do governador Geraldo Alckmin (PSDB) para que o governo federalprovidencie com urgência a recuperação de trechos deteriorados da Rodovia Régis Bitencourt (BR 116), que liga São Paulo a Curitiba.Segundo o prefeito de Registro, Samuel Moreira da Silva Júnior (PSDB), presidente eleito do Consórcio para o Desenvolvimento do Vale do Ribeira (Codivar), o abandono da estrada atingiu grau insuportável. "Não podemos aceitar a perda de vidas em razão da falta de conservação."A rodovia está parcialmente interditada na altura de Cajati em razão da falta de pavimento na cabeceira de um viaduto. Há um desvio nesse local, por onde passa um veículo por vez. De Registro a Miracatu, o mato invade a pista e, em muitos pontos, o asfalto se deteriorou.Essas obras, segundo ele, são emergenciais e devem ser realizadas de imediato. Os prefeitos querem também a duplicação dos 30 quilômetrosde pista única na Serra do Cafezal, entre Juquitiba e Miracatu, onde ocorrem 80% dosacidentes.A obra foi embargada por questões ambientais, mas os principais entraves, como a definição do traçado da nova pista, já foram resolvidos. Um relatório sobre a situação da estrada foi enviado, no fim do ano passado, ao Ministério dos Transportes."Como estava no período de transição, a equipe do ministro Anderson Adauto teve acesso ao documento", disse o prefeito. Os prefeitos terão também uma audiência com o ministro, em data a ser agendada. A BR 116 é usada como rota para o Mercosul e recebe principalmente veículos de carga. O tráfego médio é de 8 mil caminhões por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.