Prefeitos petistas pedem mais estratégia da polícia

Uma nota repudiando o despreparo do governo do Estado na questão da segurança pública e ainda reivindicando o aumento de investimentos na área de investigações no estado, foi o resultado da reunião realizada hoje em Ribeirão Preto entre os prefeitos do partido na região e que terminou há pouco. Na nota divulgada pelo prefeito Antonio Palocci Filho, de Ribeirão Preto, são solicitadas ao governador Geraldo Alckmin a ampliação imediata do contingente de policiais que atuam na área de inteligência e do setor científico da Polícia Militar de São Paulo."O Estado precisa de inteligência, estratégia e comando. Pela escalada de violência que tem sido verificada nos últimos meses, com aumento de 300% no número de seqüestros, as ameaças que os prefeitos do PT vêm sofrendo e ainda a inoperância na elucidação de seqüestros que estão em andamento apontam que não existem nenhum destes pontos exigidos para a manutenção da segurança pública", disse.Em crítica direta às medidas de segurança anunciadas pelo governo do Estado, o prefeito de Ribeirão Preto afirmou "que não há motivos para que se exerça a criatividade legal". "Não é com o relançamento de planos de segurança que nunca chegaram a ser colocados em prática ou com mudanças de última hora na legislação, como a questão da telefonia celular, que mais vai prejudicar do que ajudar, que é possível reverter a situação caótica em que o Estado se encontra", afirmou Palocci durante entrevista coletiva."Existe uma clara necessidade de aumentar o número de investigadores, porque só a falta deles e a falta de estrutura do Estado em equipamentos e investimentos neste setor justificam que após quatro meses do assassinato do prefeito de Campinas, ainda não se tenha avançado na elucidação do crime", disse o prefeito de Ribeirão que participa logo mais com dirigentes locais do partido de ato pela paz em Ribeirão Preto. Eventos semelhantes devem ocorrer em Araraquara e São Carlos, também comandadas por petistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.