Prefeitura anuncia obras para melhorar tráfego no centro da cidade

A Prefeitura está prestes a lançar dois editais de licitação que prometem aumentar a fluidez e a velocidade de tráfego no centro da cidade. A idéia é atacar em dois anéis viários na região central: a rótula, um círculo de cerca de 5 km de extensão, e a contra-rótula, um anel com 9 km de comprimento. Além de obras que vão remodelar as avenidas no que for preciso, com redefinição que vai da geometria da rua até remodelação das calçadas, a Secretaria Municipal dos Transportes vai implantar sistemas de câmeras e de semáforos inteligentes nesses anéis. As duas licitações vão custar, ao todo, R$ 62,5 milhões aos cofres públicos.Em julho, a Secretaria publica as regras para remodelar as avenidas e ruas que fazem parte do chamado arco norte da contra-rótula, um trecho que se estende da Avenida do Estado até a Avenida Duque de Caxias, passando pela região da Luz. Por obras, entenda-se a revisão da geometria das vias - traçado, largura, curvatura -, reforma de calçadas, tratamento de pontos de ônibus, pavimentação e outras interferências de engenharia viária. "Elegemos esse arco norte primeiro porque é o trecho onde as coordenadas do viário são mais indefinidas", comenta o secretário dos Transportes, Frederico Bussinger. Somente esta parte da obra vai consumir R$ 25,5 milhões.O edital mais caro será lançado em setembro e refere-se ao monitoramento eletrônico - implantação de cabos, câmeras e semaforização inteligente. Esses equipamentos serão colocados tanto na rótula quanto na contra-rótula e custarão R$ 37 milhões. "O sistema semafórico que vai ser colocado mede a demanda e a velocidade de circulação dos carros e ajusta isso no computador de forma que você só consiga pegar o farol verde", explica o secretário.Início de obrasA intenção é começar as obras e a implantação do sistema de monitoramento eletrônico ainda neste segundo semestre, mas tudo dependerá do andamento das licitações. Uma vez definidos os ganhadores da concorrência, cada processo deve demorar até, no máximo, 18 meses para estar concluído. De qualquer forma, diz o secretário, as melhorias devem ser sentidas antes, desde a implantação dos primeiros semáforos inteligentes. "Vai melhorar a fluidez, a segurança e o trânsito nessa região central, que tem uma das velocidades mais lentas da cidade. Quem anda de carro e de ônibus será beneficiado", garante Bussinger.O projeto da rótula e da contra-rótula foi concebido há cerca de quatro anos, dentro do Projeto Ação Centro, e tinha como principal característica implantar nesses anéis viários corredores de ônibus. O projeto sofreu modificações na atual gestão e, agora, também dá prioridade para o trânsito, não mais só o transporte. Com isso, os ônibus deixam de ter faixas segregadas nestes círculos. Bussinger explica que a via exclusiva será feita apenas em alguns trechos. O detalhamento de como isso funcionará ainda está sendo feito. "Se colocássemos as faixas segregadas e pontos de ônibus nos canteiros centrais, mataríamos o comércio do Centro", diz o vice-presidente da Emurb, Geraldo Biasoto Júnior. "A gente saiu de uma intervenção simplesmente física e passou para uma inteligência de trânsito", acrescenta Biasoto sobre as mudanças.Além disso, o plano original previa começar as obras de requalificação pelas vias da rótula. "Como o projeto atrasou demais, o Metrô começou as obras da linha 4. Se fôssemos manter o roteiro original, o Centro ia virar um enorme canteiro de obras e isso traria muito impacto na circulação", explica Bussinger.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.