Prefeitura combate abandono de animais

Administração investe R$ 8 milhões para conscientizar população no trato com os bichos e Centro de Controle de Zoonoses será reformado

Lais Cattassini, O Estadao de S.Paulo

03 Julho 2009 | 00h00

Animais não são objetos. A frase ilustrará a campanha de bem-estar animal anunciada ontem pela Prefeitura de São Paulo, que tem o objetivo de conscientizar os donos de pets sobre uma questão que há anos é levantada por abrigos e instituições de proteção animal: o abandono. Com um investimento de cerca de R$ 8 milhões, a Secretaria Municipal da Saúde e a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente se uniram para criar o Programa de Proteção e Bem-Estar de Cães e Gatos (Probem). O site do programa é www.prefeitura.sp.gov.br/probem. O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) será reformado para abrigar animais com mais conforto e cuidado e será construído o Núcleo de Proteção e Bem-Estar, onde os bichos abandonados ficarão até encontrar lares definitivos. Todos os meses, cerca de cem animais recolhidos pelo Centro de Zoonoses ficam disponíveis para adoção. O núcleo deverá ser inaugurado no início do ano que vem. A Prefeitura não informou o número de animais que estão atualmente no CCZ. O Probem prevê ainda a ampliação do programa de castração de animais domésticos. Atualmente, a Prefeitura faz 40 mil castrações por ano. A meta é chegar a 100 mil. "O principal é terminar o ciclo de abandono. Espero que não seja necessário criar mais núcleos de proteção, pois isso significaria que mais animais estão sendo abandonados. A conscientização é o aspecto mais importante do programa", explica o secretário da Saúde, Januário Montone. É a primeira vez que a administração municipal realiza uma ação de grande visibilidade para diminuir o abandono de animais domésticos e melhorar o atendimento aos animais recolhidos. "Lutamos muito por uma ação da Prefeitura", diz Angela Caruso, presidente do abrigo de animais Quintal de São Francisco. "Foi uma surpresa muito boa ver que o governo se preocupou finalmente com a causa. É um salto para a cidade de São Paulo." "Houve uma negligência com o assunto nas últimas décadas. O programa veio para apoiar os abrigos e instituições que recolhem bichos abandonados. Antes tarde do que nunca", disse o prefeito Gilberto Kassab. Para grupos e associações protetoras de animais, a conscientização é fundamental. "A falta de informação causa ignorância e a ignorância causa destruição. Com a conscientização, a gente fecha a torneira que torna os abrigos superlotados e o problema tão abrangente", declara Silvia Pompeu, fundadora do Rancho dos Gnomos, que acolhe animais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.