Prefeitura culpa manifestante por conflito com Kassab

A Prefeitura de São Paulo divulgou no final da tarde desta segunda-feira, 5, uma nota oficial com sua versão do incidente ocorrido pela manhã durante inauguração de um posto de Assistência Médica Ambulatorial (AMA), em Pirituba, na zona oeste da cidade. A nota diz que o prefeito Gilberto Kassab (PFL) é quem foi ofendido publicamente pelo manifestante Kaiser Paiva Celestino da Silva. Segundo o comunicado da Prefeitura, Silva aguardava o prefeito desde a manhã em um bar próximo, onde já teria manifestado suas intenções de ofender o prefeito. A Prefeitura também contesta a versão dada por Silva de que ele estaria no local em busca de atendimento dentário para o filho. "O referido cidadão é usuário regular de clínica médica e odontologia da Vila Zatt, em outra área da região de Pirituba, onde mora (...). Seu filho é usuário cadastrado em pediatria e teve a última consulta, sem emergência, no dia 31 de janeiro, na Unidade Básica de Saúde (UBS) da Vila Zatt", diz a nota. Para a Prefeitura, o manifestante "atrapalhou e tumultuou o atendimento a outros pacientes na unidade". Silva, que se identificou como proprietário de empresa que confecciona faixas publicitárias, protestava contra a Lei Cidade Limpa, que estipula regras para a publicidade exterior na Capital e visa diminuir a poluição visual. Enquanto o prefeito fazia vistoria nas salas de equipamento de saúde da nova unidade, Celestino da Silva entrou na AMA e passou a "gritar e ofender" Kassab. Silva alegou que a nova Lei o impedia de trabalhar e em nenhum momento reclamou do atendimento municipal de saúde.

Agencia Estado,

05 Fevereiro 2007 | 18h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.