Prefeitura de Curitiba garante que está pronta para receber a Copa

Relatório da TCU aponta que Estádio Arena Baixada tem apenas 8,5% das obras exigidas pela Fifa

Evandro Fadel - Agência Estado,

29 Março 2012 | 10h25

CURITIBA - Uma das capitais em que estão previstos jogos da Copa do Mundo, Curitiba garante que estará tudo pronto até a competição. Apesar de um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) apontar que a Arena da Baixada tem apenas 8,5% das obras exigidas pela Fifa. O Atlético Paranaense, proprietário do estádio, e os gestores da Copa no Estado garantem que o porcentual é bem superior e está dentro do cronograma. No entanto, até agora o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não liberou os recursos necessários para levar adiante o empreendimento.

O clube sustenta que o orçamento será de aproximadamente R$ 185 milhões. E, para conseguir o empréstimo, o Atlético empenhou como garantia os dez alqueires do Centro de Treinamento, com dois hotéis e modernas instalações. Enquanto recursos oficiais não chegam, o Atlético trabalha com dinheiro próprio. Depois da retirada da cobertura e das cadeiras, o próximo passo é a construção de muros de arrimo e a demolição dos pilares que ocasionavam pontos-cegos.

Independentemente da discussão sobre os recursos para o estádio, a prefeitura mantém um cronograma de obras de mobilidade urbana já em andamento ou que serão iniciadas até junho, num valor total de R$ 420 milhões. Desses, R$ 140 milhões serão custeados pelo município, governo do Estado, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Agência Francesa de Desenvolvimento, enquanto o governo federal investirá R$ 280 milhões. Entre as obras destacam-se a Linha Verde Norte e Sul, trincheira da Rua Chile, anel viário, revitalização da Avenida Marechal Floriano Peixoto, viaduto estaiado na Avenida das Torres e requalificação da Rodoferroviária.

Mais conteúdo sobre:
curitibacopaobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.