Prefeitura de Santo André pede ajuda à OAB

A administração municipal de Santo André pediu para a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) intervir nas investigações sobre a morte do prefeito da cidade, Celso Daniel. A Prefeitura pediu que a OAB enfatize a necessidade de a polícia se concentrar em apurar fatos e atores do crime, e não em investigar familiares e amigos da vítima e quadros do Partido dos Trabalhadores.A OAB-SP fez uma reunião ontem, na sede da entidade em Santo André, para discutir medidas de combate à violência na região e no Estado. Do encontro saiu a "Carta do Grande ABC", e medidas que a OAB irá adotar para ajudar no combate à violência.Os advogados decidiram pela criação de comitês regionais permanentes de políticas públicas e segurança. A OAB deve fazer visitas a fóruns e delegacias regionais, exigir das autoridades públicas dados oficiais corretos sobre os índices de criminalidade para um mapeamento da violência e possíveis ações, e irá incentivar o disque-denúncia com garantias de sigilo para o cidadão. A OAB também quer mobilizar a sociedade civil contra o atual estado de insegurança, organizando debates com lideranças comunitárias.Para o conselheiro da OAB-SP, Márcio Cammarosano, será necessário manter uma assembléia permanente na organização. Ela seria voltada para o problema da segurança porque a violência deverá se agravar mais, segundo ele. Cammarosano disse que sem reformas sociais, crescerá o contingente de pessoas dispostas a seqüestrar e matar por R$ 1 mil, ou menos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.