Prefeitura de SP agora indaga PT sobre vazamento

Após petistas terem acusado secretário de Kassab de divulgar dados da consultoria de Palocci, Mauro Ricardo pede nomes e explicações ao partido

Julia Duailibi, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2011 | 00h00

Depois da acusação por integrantes do governo de que fora a responsável por vazamento de dados fiscais da empresa do ministro Antonio Palocci (Casa Civil), a Secretaria de Finanças paulistana partiu para o ataque contra o PT.

Em ofício enviado no último dia 25 e recebido anteontem pela Liderança do PT na Câmara Municipal, o secretário de Finanças, Mauro Ricardo Costa, pede aos vereadores petistas que informem o nome do servidor que teria tido acesso aos dados fiscais do ministro. Em reportagem publicada no Estado no mesmo dia, parlamentares do PT afirmavam que, por meio de funcionário da Prefeitura, teriam tido acesso a extratos de notas de Imposto sobre Serviço apresentadas pela Projeto, consultoria de Palocci, nos últimos três anos.

As informações obtidas pelos vereadores comprovariam, segundo os parlamentares, a violação do sigilo fiscal da empresa na base de dados tributários da Prefeitura de São Paulo.

"Dada a gravidade dessa informação, solicito que seja informado a essa secretaria, com a máxima urgência, o nome do funcionário responsável pela quebra de sigilo, para que possamos adotar as medidas administrativas aplicáveis ao caso", disse Mauro Ricardo no ofício 164/2011. O secretário tornou-se o principal alvo dos petistas. Para o governo, Ricardo teria interesse de vazar as informações para beneficiar o ex-governador José Serra (PSDB) de quem foi secretário.

Na semana passada, os vereadores enviaram requerimento de informações pedindo à Secretaria de Finanças que informasse os nomes das pessoas que acessaram os dados da Projeto. A pasta tem 30 dias para respondê-lo, a partir do recebimento.

Para o vereador José Américo (PT), autor do requerimento, o ofício de Ricardo é provocação: "É inoportuno. Ele está tentando desviar o assunto. Deveria responder com presteza as informações que foram solicitadas. Quando der as informações, vou convocar todos, inclusive ele".

O prefeito Gilberto Kassab nega envolvimento da Prefeitura. Na semana passada, disse a Palocci que os acessos aos dados da Projeto teriam sido feitos a pedido da empresa. O Palácio do Planalto não se convenceu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.