Prefeitura de SP promete inspeção veicular para 2005

Os donos de veículos da cidade de São Paulo podem ir preparando seus bolsos para mais uma uma despesa anual com o carro. Com três anos de atraso, em janeiro de 2005 a Prefeitura deve iniciar a inspeção veicular. A medida se destina a reduzir os níveis de ruído e emissão de monóxido de carbono e hidrocarbonetos da frota de 5,5 milhões de veículos que circula pela cidade. Se os testes fossem realizados hoje, a taxa de inspeção custaria R$ 40, conforme cálculo da concessionária que executará o serviço. É uma atualização do custo de R$ 17,95 fixado no contrato em 1996. A Secretaria do Verde e Meio Ambiente, porém, garante que a proposta da época do contrato será corrigida, mas o valor final não deve chegar a tanto. O veículo que for reprovado no teste terá 30 dias para sanar o defeito e, em seguida, retornar para nova inspeção gratuita. Mas, se o retorno ocorrer após esse prazo, será cobrada nova taxa. Estão isentos da inspeção veículos das Polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros, ambulâncias, veículos de competições e de coleção. O Código de Trânsito Brasileiro determina que a inspeção de emissões deve ocorrer todo ano e está vinculada ao licenciamento dos veículos. Quem for reprovado não poderá licenciar o carro até o problema ser resolvido. Os técnicos da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e da empresa Controlar, que ganhou a concorrência para realizar os testes, estão discutindo várias questões, entre elas os prazos para realização da inspeção em relação à data do licenciamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.