Prefeitura de SP vai alugar imóveis para sem-teto

Dentro de dois meses, a Secretaria Municipal de Habitação de SP começará a executar o Programa Locação Social, que até o fim do governo da prefeita Marta Suplicy (PT) pretende atender 6 mil pessoas. Famílias que vivemem barracos montados sob os viadutos da cidade e exercem alguma atividade de sobrevivência, como catadores de papel ou guardadores de carros, vão morar em imóveis alugados pela Prefeitura."A maior parte do aluguel será paga pelo Fundo Municipal de Habitação", destacou a diretora do Habi-Centro, Carolina Maria Pozzi de Castro. "Quem ganha até dois salários minímos contribuirá com 10% de seus rendimentos", disse. "As famílias, compostas de uma a quatro pessoas que ganham de 2 a 3salários, darão 12%."Não haverá limite de permanência nos imóveis. "Mas, a partir do momento em que passam a ter endereço, a morar com dignidade e a melhorar suas condições financeiras de sobrevivência, elas serão transferidas para outros programas sociais da Prefeitura, como o da casa própria", explicouCarolina.Os sem-teto que vivem sob os viadutos sozinhos, não têm família ou atividade que garanta sua sobrevivência são atendidos pela Secretaria Municipal de Assistência Social.A verba de R$ 3,6 milhões que a Secretaria da Habitação tinha este ano para atender famílias em áreas de risco, em situação de emergência ou que foram retiradas de onde moravam por despejos e reintegração de posse de terrenos acabou. O dinheiro serviu para atender 844 famílias até julho. Já foi solicitada uma suplementação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.