Prefeitura decreta Edifício Mercúrio de utilidade pública

A Prefeitura deu na quinta-feira, 4, mais um passo na revitalização da região do Parque D. Pedro II, no Centro. Um decreto publicado no Diário Oficial da Cidade declarou a área do Edifício Mercúrio, vizinho do São Vito, de utilidade pública. "É uma sinalização para a hipótese de desapropriar toda a área e, eventualmente, desenvolver um projeto", disse o prefeito Gilberto Kassab (PFL) que, pela lei, tem cinco anos para pedir a desapropriação do terreno.A revitalização do Parque D. Pedro II integra o projeto de recuperação do Centro de São Paulo, que tem recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Uma das propostas para a área é demolir o São Vito e o Mercúrio é criar uma esplanada ligando o Mercado Municipal e o Palácio das Indústrias.Outra solução seria aproveitar o São Vito, fechado há dois anos, para moradias populares. "No caso da primeira alternativa ser escolhida, nós vamos construir ou identificar locais na mesma região para que as famílias possam se mudar", declarou Kassab.A idéia de demolir os dois prédios surgiu no final no ano passado e não agradou os moradores do Mercúrio. "Se me tirarem daqui terão que dar outra casa no meu nome", disse a aposentada Arlete Ferreira, de 75 anos. Ela comprou o apartamento há 7 anos por R$ 8 mil. O edifício tem 24 andares e 144 apartamentos.Originalmente concebido como um hotel, o Mercúrio teve autorização especial para ser residencial em 1955. O plano de recuperação inclui a demolição do Viaduto Diário Popular e a construção de uma passagem de nível sobre a Avenida do Estado e o Rio Tamanduateí.Parte dos estudos já foi realizada pela Companhia de Engenharia de Tráfego. Mas só depois de aprovados pelo prefeito é que a Secretaria de Infra-Estrutura de Obras deverá elaborar o edital de licitação.

Agencia Estado,

05 de janeiro de 2007 | 14h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.