Prefeitura destrói 24 t de CDs e DVDs falsificados apreendidos com camelôs

Cerca de 24 toneladas de CDs e DVDs falsificados apreendidos em São Paulo foram trituradas ontem pela Prefeitura, no Parque do Povo, no Itaim-Bibi, zona sul. Foi a maior destruição de mercadoria pirateada de uma só vez na cidade. Havia 1,5 milhão de CDs e DVDs, a maioria apreendida de camelôs por fiscais da Prefeitura. O material estava estocado em depósitos das subprefeituras. O prefeito Gilberto Kassab (DEM), que colocou CDs na máquina trituradora, disse que está adotando "medidas irreversíveis" para evitar a utilização de produtos apreendidos. No início do mês, uma quadrilha com 20 homens armados invadiu um depósito da Subprefeitura da Mooca e roubou 2 toneladas de material pirateado. Após a ação, as subprefeituras reforçaram a segurança nos galpões.Os destroços de ontem foram armazenados em sacos de lixo e serão encaminhados para áreas de descarte. Segundo a Prefeitura, só este ano produtos falsificados e contrabandeados apreendidos encheram 91 mil sacos de 100 litros. Desde 2005, a administração diz ter removido 2.400 barracas irregulares de camelôs e cassado 600 termos de permissão de uso utilizados de forma ilegal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.