Prefeitura do Rio fará obras contra enchentes com dinheiro do PAC 2

Serão gastos R$ 293 milhões para conter alagamentos na praça da Bandeira e instalar um radar meteorológico, para maior precisão na antecipação de temporais

Pedro da Rocha, Central de Notícias

06 de dezembro de 2010 | 18h41

SÃO PAULO - O secretário municipal de Obras do Rio de Janeiro, Alexandre Pinto, anunciou na tarde de hoje, 6, duas medidas contra enchentes que serão financiadas com dinheiro do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), do governo federal. O objetivo é resolver o problema de alagamentos na praça da Bandeira e instalar o radar meteorológico do Sumaré para maior precisão na antecipação de temporais.

 

Localizada no principal eixo entre a zona norte e o centro do Rio, a praça da Bandeira é prejudicada pelo transbordamento dos rios Joana, Trapicheiros, Maracanã e Papa-Couve. As obras na Bacia do Canal do Mangue, que serão realizadas pela Rio-Águas, órgão subordinado à Secretaria Municipal de Obras (SMO), terão investimento total de R$ 293 milhões pelo (PAC 2).

 

Deste total, R$ 151 milhões serão destinado para desviar a calha do rio Joana. O desvio proposto se dá principalmente através do bairro de São Cristóvão, fazendo a travessia das linhas férreas de trens e metrô, onde haverá perfuração de túneis sob o Morro da Rua São Cristóvão, passando pelo da Mangueira e o da Rua Fonseca Teles, desaguando na Baía da Guanabara. Estas intervenções fazem também a captação da Bacia do Rio Joana Inferior, remanescente do Rio Joana após sua derivação para o Rio Maracanã.

 

Outra obra que será executada pelo órgão é a implantação de quatro piscinões de grande porte na Bacia do Canal do Mangue - intervenção que vai consumir R$ 192 milhões. Os reservatórios do Rio Joana foram concebidos para reter temporariamente o volume de 140 mil metros cúbicos; no Rio Trapicheiros, o volume armazenado pode chegar a 83 mil metros cúbicos; e o reservatório da Praça da Bandeira suportará o escoamento da microdrenagem da região.

 

O novo radar meteorológico de Sumaré para o sistema Alerta Rio tem valor estimado R$ 2,5 milhões (aquisição e instalação). O radar vai captar mais rapidamente a chegada de temporais. O equipamento terá um alcance de 250 km - ultrapassando os limites do Município do Rio de Janeiro - e tecnologia Doppler, que consegue atravessar as nuvens, medindo sua velocidade e direção.

Tudo o que sabemos sobre:
RioPAC 2enchentesSumaréalagamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.