Prefeitura do Rio pede demissão de guarda que agrediu skatista

Momento da agressão realizada no Parque de Madureira foi filmado e publicado na internet na quarta-feira, 25

Gheisa Lessa, O Estado de S.Paulo

26 Julho 2012 | 11h27

SÃO PAULO - O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, determinou a demissão do guarda municipal suspeito de agredir o skatista Pedro Henrique Neném na noite da última quarta-feira, 25, no Parque de Madureira, na zona norte do Rio de Janeiro. O momento da agressão foi filmado e publicado na internet na quarta-feira, 25.

A medida foi anunciada em uma nota oficial publicada pela prefeitura do Rio. O nome do guarda municipal não foi divulgado. Segundo o informe, o agente já foi afastado de suas funções e o processo de demissão da corporação está em curso.

"A Guarda Municipal repudia veementemente o comportamento do guarda, que não representa a Instituição cuja função é estar ao lado do cidadão e zelar pela boa convivência no espaços públicos".

Segundo testemunhas, o guarda alegou que a manobra praticada pelo atleta era perigosa e poderia deixar alguém ferido. Skatistas que presenciaram a ação violenta afirmam que em nenhum momento o agente foi insultado ou sofreu alguma motivação para iniciar as agressões (continua).

Curitiba. A Prefeitura de Curitiba, a Secretaria da Defesa Social e a Federação de Skate do Paraná afirmaram em reunião na última quarta-feira, 25, que irão avaliar a construção de pistas de skate em parques da cidade. A medida foi anunciada após o episódio registrado no último sábado, 21, em que um skatista foi agredido por um agente municipal no Parque Bacacheri.

Após a divulgação do vídeo que mostra a agressão (veja abaixo), a Prefeitura de Curitiba informou que um procedimento interno foi aberto para apurar se houve excesso na abordagem da Guarda Municipal e se os meios utilizados para contar o skatista foram adequados.

Segundo relatos, o skatista utilizava a pista compartilhada do parque em alta velocidade. Pessoas que faziam caminhadas no local teriam solicitado a intervenção do guarda. Abordado, o skatista se recusou a utilizar a pista de forma moderada, o que teria motivado a autuação em flagrante por desacato.

O presidente da Federação de Skate do Paraná, Adalto Elias Pereira, afirma que o guarda acusado da agressão teria dito que o skatista, de 36 anos, iniciou uma discussão após o policial pedir que ele não utilizasse a pista de caminhada do parque, onde andam idosos e crianças. "

Segundo ele, a ausência de pistas de skate nos parques e praças da cidade faz com que os policiais não saibam qual postura adotar ao abordar um praticante do esporte. "Se tivesse uma pista, o guarda falaria para o homem sair do local de caminhada e ir andar de skate na pista. Como não há essa área, o guarda vai mandar ele ir pra rua? Não dá", diz Pereira.

Uma nota oficial divulgada pela Secretaria da Defesa Social nesta quinta-feira, 26, afirma que a proposta de agregar áreas dedicadas apenas ao esporte será analisada pela prefeitura. Ainda segundo a nota, a secretária do Meio Ambiente, Marilza Dias, explicou que em breve o Parque Cambuí, na Fazendinha, ganhará uma pista de referência, o que era um pedido dos próprios skatistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.