Prefeitura do Rio vai restaurar suas igrejas antigas

O prefeito do Rio, Cesar Maia, o Secretário Municipal das Culturas, Ricardo Macieira, e o cardeal arcebispo d. Eusébio Scheid assinaram hoje um convênio que prevê a restauração de igrejas construídas até o século XIX na cidade. Na primeira fase do projeto, que tem custo total previsto em R$ 5 milhões, serão contempladas quatro igrejas que apresentam problemas de estrutura, conservação e infestação por cupins. Vitrais e instrumentos musicais, como órgãos, também serão recuperados.As Igrejas Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé (centro), Santa Teresinha, na Tijuca (zona norte), a Igreja Matriz de São João Batista, em Botafogo (zona sul) e a Nossa Senhora do Desterro, em Guaratiba (zona oeste), foram as primeiras escolhidas para o processo de restauração, que deve começar ainda este mês com recursos da ordem de R$ 2,2 milhões. Segundo o secretário Ricardo Macieira, cuja secretaria ficou responsável pelo andamento do projeto, outras 30 igrejas podem ser beneficiadas. ?Optamos pela recuperação dessas quatro igrejas porque identificamos problemas emergenciais. Além disso, levamos emconta a distribuição geográfica delas na cidade para ter um equilíbrio das ações. No caso da Igreja Santa Terezinha, porexemplo, vamos recuperar um dos órgãos mais antigos, tradicionais e importantes do Rio?, disse Macieira. A Igreja Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, que guarda parte dos restos mortais de Pedro Álvares Cabral, terá asfachadas frontal e lateral restauradas, assim como a torre dos sinos. As obras são uma continuação de um acordo iniciado no ano passado com apoio do BNDES. A Igreja Matriz de São João Batista ganhará pintura, recuperação dos telhados e dos vitrais destruídos por fortes chuvas no ano passado. Já a Nossa Senhora do Desterro terá um plano para acabar com os cupins que infestam a estrutura de madeira. Para d. Eusébio Scheid, a iniciativa veio em boa hora. ?São igrejas que fazem parte do patrimônio histórico da cidade. Com isso (restauração), embeleza-se a cidade e conservam-se os tesouros. Isso é inestimável do ponto de vista da aquisição de cultura e é uma grande promoção turística. Como muitas são igrejas tombadas, nem podemos mexer. Estamos sempre de mãos amarradas por causa dos órgãos públicos, até para construir.? O projeto de restauração é o segundo do gênero assinado por Cesar Maia em menos de uma semana. Na quinta-feira, ele e o BNDES se comprometeram a dar início às obras de recuperação do mosteiro de São Bento, no centro, cuja biblioteca sofre com a umidade. Além de restaurados, os exemplares serão digitalizados e o mosteiro ganhará um tratamento acústico, já que fica na zona portuária onde costumam ocorrer festas nos fins de semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.