Prefeitura e CDHU vão discutir situação de desabrigados de favela

A Secretaria Municipal de Assistência Social informou hoje querepresentantes da Prefeitura de São Paulo e da Companhia deDesenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU) irão se reunir, na próxima terça-feira, para definir o destino das famílias que ficaram desabrigadas no incêndio que destruiumais de 500 barracos na Favela Paraguai, Vila Prudente, zona leste de São Paulo. De acordo com os dados atualizados pela Secretaria, 342 famílias estão desabrigadas, o que representa cerca de 1360 pessoas. No incêndio, que ocorreu na madrugada de sábado, uma pessoa morreu carbonizada.O subprefeito de Vila Prudente/Sapopemba, Carlos Eli Gonçalves, esteve hoje acompanhando a remoção dos desabrigados, que estavam alojados na creche Esperança. As famílias estão sendo transferidas para a EMEF Irineu Marinho. O diretor-presidente do CDHU, Luiz Antônio Carvalho Pacheco, também esteve na creche e agendou uma reunião para terça-feira, às 10h, na sede do CDHU, para definir, em conjunto com representantes da Prefeitura, o destino das vítimas do incêndio."Nesta reunião vamos definir o que será feito no local onde pegou fogo, junto com uma comissão de moradores. O CDHU levantou a possibilidade de construir um alojamento provisório e definirá isso também na reunião", explicou Carlos Eli.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.