Prefeitura embarga ampliação do Iguatemi

Vizinhos se uniram contra anexo do shopping mais luxuoso de SP

Alexssander Soares, O Estadao de S.Paulo

07 Agosto 2029 | 00h00

A Subprefeitura de Pinheiros embargou na sexta-feira as obras de expansão do Shopping Iguatemi, o mais luxuoso centro de compras da capital, que fica no Jardim Paulistano. Com o embargo e a notificação, fica paralisada a construção de um prédio anexo ao shopping com três pisos de subsolo e sete de garagens, mais quatro pavimentos de escritórios.O prédio, de 51 metros de altura, estava sendo erguido na área de 25 mil metros quadrados de um antigo posto de gasolina, localizado na esquina da Avenida Rebouças com a Rua Angelina Maffei Vita. O projeto, idealizado para aumentar o conforto dos freqüentadores do shopping, acabou azedando o relacionamento com moradores de quatro edifícios residenciais vizinhos da obra. Com 120 apartamentos ao todo, os Condomínios Avignon, Chatel, Dijon e Monfort têm proprietários ilustres, como o prefeito Gilberto Kassab (DEM).Os prédios e o shopping ficam na mesmo terreno. Os condomínios foram o meio encontrado pelo construtor Alfredo Mathias, que ergueu o Iguatemi em 1966, para aproveitar a parte dos fundos do empreendimento. A convivência dos moradores com o grupo de Carlos Jereissati Filho, administrador do shopping desde 1978, foi pacífica até surgirem os planos de construir o prédio anexo, bem em frente do Avignon. Os síndicos dos quatro edifícios tentaram, sem sucesso, negociar uma saída com os administradores do Iguatemi.''''A escritura do shopping e do nosso condomínio diz que é proibido levantar edificações que prejudiquem a visibilidade entre os imóveis (o Iguatemi e os prédios)'''', disse Jorge Rugitsky, um dos síndicos e administrador da área externa do condomínio.MOBILIZAÇÃOOs moradores também fizeram um abaixo-assinado, que teve a adesão de 112 dos 120 proprietários, enviado à Prefeitura. Os organizadores disseram que o prefeito não participou da mobilização. ''''O Kassab não assinou a lista porque entende que, como prefeito, não pode participar da discussão. Também entendemos que, se ele assinasse, poderia atrapalhar nossa reivindicação, porque só precisamos que a lei seja cumprida'''', disse Rugitsky.A Assessoria de Imprensa do Iguatemi afirma que a administração do shopping foi notificada sexta-feira para suspender a execução da obra. ''''As medidas cabíveis já estão sendo adotadas, muito embora a obra esteja sendo executada conforme projeto aprovado pela Prefeitura'''', diz a nota do shopping.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.