Prefeitura faz mutirão de serviços na zona norte do Rio

Coleta de lixo e recuperação de iluminação estão entre trabalhos que serão realizados em região ocupada

Priscila Trindade, Central de Notícias, com O Estado de S.Paulo

30 Novembro 2010 | 10h27

SÃO PAULO - As equipes da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos iniciam hoje um conjunto de ações que inclui melhoria nos serviços e obras de urbanização no Complexo do Alemão e comunidades da Penha, na zona norte do Rio de Janeiro. Entre os trabalhos estão coleta de lixo, recuperação da iluminação e da pavimentação.

 

Veja também:

 

 

 

linkPolícia encontra túnel de fuga e vai lançar gás no esgoto do Alemão

linkMoradores denunciam arrombamentos

linkPolícia: CV deve se refugiar em Manguinhos e Mangueira

link ABIH: Queda na ocupação de hotéis é pequena

blog Empresas de ônibus estudam pedir indenização

som Morador: 'Ainda não sabemos como isso vai ficar'

mais imagens Veja fotos da onda de ataques no Rio

video Vídeo - Bope troca tiros no Complexo da Penha

forum Presenciou algum ataque? Conte-nos como foi

especial CRONOLOGIA - A crise de violência carioca

Os primeiros locais a receber os serviços serão as principais vias de acesso ao Complexo do Alemão, como as ruas João Rego, Antonio Rego, Paranhos, Diomedes Trota, Estrada do Itararé e Avenida Itaóca. Já na área da Penha, o trabalho abrangerá o entorno da Praça São Lucas, as ruas Soldado Vasco, Paul Miller, Soldado Paiva, Professor Otávio de Freitas e a Avenida Nossa Senhora da Penha.

O Complexo do Alemão foi ocupado no domingo pelas Polícias Civil, Militar, Federal e das Forças Armadas em uma operação contra o tráfico. Mesmo contrariado, o Exército vai permanecer no Complexo do Alemão e na Vila Cruzeiro até julho de 2011. As tropas federais substituirão as Polícias Civil e Militar nas duas comunidades ocupadas.

A avaliação da cúpula da Força é que há um consenso político, irradiado a partir do Planalto, que prega a permanência das tropas e torna a ampliação da missão irreversível. Acrescente-se ainda o clamor da população, que apoiou maciçamente a operação contra o tráfico.

A pressão política já era notada pela manhã, quando o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), anunciou a instalação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) do Complexo do Alemão e da Vila Cruzeiro, na zona norte, para 2011. Todo o processo deve levar de seis a sete meses. Esse é o tempo estimado para a realização de concursos públicos e treinamento dos policiais militares que vão atuar nas comunidades.

Mais conteúdo sobre:
violência ataques Rio mutirão prefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.