Prefeitura faz parceria com firma francesa

Está em fase de montagem uma parceria entre a Prefeitura de São Paulo e a RATP, empresa urbana de transporte público de Paris, para construir estações de Metrô, ampliar o Fura-Fila até Vila Prudente e rever sua tecnologia. Depois de almoçar neste sábado com o ministro do Comércio Exterior da França, François Huwart, a prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), disse que, se tudo correr bem, a estatal RATP poderá ter a concessão para fazer alguns trechos de Metrô - que, atualmente, é administrado apenas pelo governo paulista - e também para terminar o Fura-Fila."Lógico que, no caso do Metrô, tudo será conversado com o governo do Estado para definir prioridades em conjunto", afirmou Marta. "Não tomarei nenhuma resolução sem antes conversar, mas, se o Estado não se interessar, a Prefeitura se interessa." A prefeita disse que o Município só não tem participação no Metrô por omissão. "E eu só tenho essa chance de arrumar dinheiro: ou faço parceria ou arrumo recursos a fundo perdido."Marta observou ainda que o Fura-Fila é o "avô da tecnologia" e, ainda por cima, deficitário."Prometemos na campanha levá-lo até Vila Prudente, mas, quando abrimos a caixa-preta da Prefeitura, vimos que o dinheiro só dava para ir até Sapopemba."Na Churrascaria Galpão Crioulo, o ministro francês tomou caipirinha junto com Marta e empolgou-se com as idéias da prefeita petista. "Não considero São Paulo como um simples mercado para exploração, mas como um parceiro para cooperação", afirmou Huwart. "Desejamos aumentar os intercâmbios comerciais com a cidade", completou. As conversas entre a Prefeitura de São Paulo e a direção da RATP começaram há três semanas, em São Paulo, por intermédio da embaixada francesa.Antes de almoçar com a prefeita, o ministro Huwart passou por uma situação constrangedora no Fórum Social Mundial, que se realiza em Porto Alegre. Ao participar de uma palestra na Pontifícia Universidade Católica (PUC), foi questionado aos gritos por um manifestante argentino, que mora no Brasil, sobre as barreiras comerciais na França. Ao dizer que o ministro não era bem-vindo ao fórum, o ativista recebeu aplauso de parte da platéia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.