Prefeitura gaúcha marca cirurgia de paciente morto

Quase dois anos depois da morte do pedreiro Adão João dos Santos, a família recebeu da Secretaria da Saúde de Alvorada (RS) a confirmação deque a cirurgia cardíaca que ele esperava já podia ser marcada pelo Sistema Único deSaúde.A correspondência chegou à casa dos Santos, no Bairro Jardim Algarve, na sexta-feira passada, e surpreendeu a filha Maria Terezinha dos Anjos por dar prazo até a próxima quinta-feira para o suposto paciente procurar o serviço médico.O secretário de Saúde do município da região metropolitana de Porto Alegre, RafaelLima Silva, explicou, nesta terça-feira, que a prefeitura não tem como saber da ocorrênciade óbitos na lista de espera, se não for informada pelos familiares.Em março de 2001, após recomendação médica, Santos solicitou a operação à secretaria de Alvorada. A família lembra de que ele se queixava de dores no peito e falta de ar. Sem resposta, o pedreiro procurou um hospital de Porto Alegre, onde conseguiu se submeter a uma intervenção cirúrgica. Mas o problema não foi resolvido e ele morreu em junho daquele ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.