Prefeitura implode prédio da Fábrica da Esperança no Rio

Cerca de dois mil moradores de Acari, nazona norte do Rio, assistiram hoje à implosão do prédio onde funcionou, nos anos 90, a Fábrica da Esperança - projeto social que ganhou notoriedade por causa da atuação de seu fundador, o pastor Caio Fábio D´ Araújo Filho. No local, será instalado o Hospital Municipal da Zona Norte, que começa a ser construído em julho.A implosão do prédio de seis andares ocorreupontualmente às 11 horas e durou apenas alguns segundos. A operação foi organizada pela Secretaria Municipal de Saúde. Segundo o secretário, Ronaldo Cézar Coelho, a destruição doprédio - comprado do Unibanco pela Prefeitura por R$ 700 mil - foi necessária porque, como ele estava abandonado há alguns anos não poderia servir de base para o novo hospital. "Será umhospital moderno, planejado e, por isso, precisa de um base sólida e nova", disse o secretário.A Fábrica da Esperança funcionou entre 1995 e 1999. Em 1998, o pastor Caio Fábio, coordenador do projeto, foi acusado de ser o responsável pela divulgação do dossiê Cayman, um relatório cuja autenticidade nunca ficou comprovada. O supostodocumento sugeria a existência de uma conta bancária ilegal mantida nas Ilhas Cayman pelo presidente Fernando Henrique Cardoso e outros membros da cúpula PSDB, entre eles Mário Covase o atual candidato à Presidência, José Serra.Por causa do episódio, o pastor renunciou à presidência da Fábrica, o que acabou fazendo com que a organização perdesse patrocinadores e parceiros. Caio Fábio também foi acusado de ternegociado privilégios para empresas de instalação de redes de fibra ótica, que teriam sido beneficiadas pela Prefeitura de São Paulo.O hospital que será erguido no local onde funcionou a fábrica custará ao município cerca de R$ 20 milhões e terá 300 leitos, um centro cirúrgico, ambulatório e uma maternidade. Eleterá 28 mil metros quadrados de área construída e será menor apenas do que o Hospital Souza Aguiar, no centro da cidade, a maior unidade hospitalar da Prefeitura. O hospital terá capacidade para atender à população de dez bairros da região -Acari, Pavuna, Coelho Neto, Barros Filho, Costa Barros, Parque Colômbia, Anchieta, Parque Anchieta, Guadalupe e Ricardo de Albuquerque. A prefeitura escolheu essa região para instalar ohospital porque avalia que lá existe um grande déficit de hospitais e postos de saúde."Moro aqui desde que nasci e sempre tive que implorar para ser atendida em hospitais distantes. Por isso, hoje estou muito feliz", afirmou a auxiliar de serviços gerais MarineideBarbosa, de 49 anos. "Como os postos de saúde da região não funcionam à noite, é muito comum a gente ter que levar os vizinhos de carroaté o centro da cidade de madrugada quando acontece uma emergência", acrescenta o aposentado Floriano Camilo do Nascimento, de 60 anos.Baleado - Meia hora depois da implosão, bombeiros que faziam um trabalho de prevenção na área de Acari socorreram Denilson Verly de Sena, que assistia a operação, levou um tirona nuca e foi incendiado por pessoas não-identificadas. Os bombeiros ouviram o tiro e foram avisados por curiosos sobre o local exato do crime. Segundo um dos bombeiros que estiveram no local, Denilson ainda tinha chamas no corpo quando a equipe de salvamento chegou. Ele foi levado em estado muito grave, mas ainda com vida, para o Hospital Getúlio Vargas, no subúrbio daPenha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.