Prefeitura interdita ponte pênsil para reforma

Depois de constatar problemas em sua estrutura, a prefeitura de Salto, a 98 quilômetros de São Paulo, interditou a histórica ponte pênsil que integra o complexo turístico do Rio Tietê. Os cabos que sustentam a ponte cederam em razão do excesso de usuários. Com 75 m, a ponte construída em 1913 dá acesso ao Caminho das Esculturas, conjunto de obras representando personagens ligadas ao rio, como o pescador, o índio, o bandeirante e o operário, além do padre José de Anchieta. Desde o início da revitalização do complexo, há um mês, o local recebe mais de 2 mil pessoas por fim de semana. Antes, não passavam mais de 20 por dia, diz o diretor de Turismo da prefeitura, José Roberto Orlandini. A recuperação deve levar duas semanas. Apenas o acesso às esculturas será interrompido. As outras atrações, como o Memorial do Tietê, podem ser visitadas normalmente.A ponte foi criada depois que indústrias se instalaram na margem direita do rio, bloqueando o acesso dos pescadores. Mas o novo caminho demorou a ser aceito: por causa do balanço da ponte, os pescadores temiam atravessá-la.

José Maria Tomazela, SOROCABA, O Estadao de S.Paulo

14 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.