Prefeitura previne dengue no Sambódromo

A Secretaria Municipal de Saúde e a Fundação Nacional de Saúde (FNS) começaram nesta segunda-feira a prevenção ao dengue na área do Sambódromo do Rio de Janeiro. Guardas de saúde e garis pulverizaram larvicida nos possíveis focos do mosquito Aedes aegypti (água parada e plantas) e deixaram armadilhas para identificar outros mosquitos existentes no local.Segundo a diretora do Setor de Epidemiologia do município, Mary Baran, esta prática é comum em todas as grandes concentrações de gente. "Fizemos no Rock in Rio e acentuamos agora devido ao crescimento dos índices da doença antes do período de pico, que é março e abril ", disse ela.Segundo Mary, em janeiro deste ano foram registrados 317 casos de suspeita, sete deles confirmados, sendo um de dengue hemorrágico. "Em 2000, no mesmo mês, houve 107 suspeitas, e precisamos da colaboração da população para evitar seu crescimento."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.