Prefeitura promete a criação de 100 km de ciclovias em 2009

São Paulo tem só 36,5 km de faixas exclusivas e outros 31,7 km em projetos para este ano

Vitor Sorano, O Estadao de S.Paulo

04 de novembro de 2008 | 00h00

A Prefeitura de São Paulo planeja instalar 100 quilômetros de ciclovias em 2009. Mas o projeto, que será discutido hoje na Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura da Paz, no Parque do Ibirapuera, traz metas ainda mais ambiciosas: mil quilômetros em dez anos.A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, que encabeça o projeto, adianta que já há verbas para o próximo ano, embora "não garanta a inauguração total". Hoje, a capital tem 17,5 quilômetros de ciclovias nas ruas e outros 19 quilômetros em parques. Entre os 100 quilômetros iniciais, a secretaria - que optou por não detalhar totalmente o plano - considera obras do Programa Pró-Ciclista - que envolvem 13,2 quilômetros de ciclovias, 6 quilômetros entregues na Radial Leste, no mês passado. A Prefeitura informou ter 31,7 quilômetros de faixas específicas para bicicletas em projeto para este ano - quase tudo nas zonas oeste (Butantã) e leste (Ermelino Matarazzo e Itaim Paulista). Autor de um projeto de lei sancionado pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM), que obriga a Prefeitura a reservar espaço para circulação de bicicletas nas novas obras viárias, o vereador Chico Macena (PT) elogiou o projeto, mas adotou discurso cauteloso. Uma das preocupações é de que se contemple a bicicleta apenas como um instrumento de lazer, e não como meio de transporte. "Eu ficaria muito decepcionado. Queremos ver o cronograma, discutir os recursos financeiros, saber como será a execução. Apesar do empenho da Secretaria do Verde, não há condições operacionais de fazer essa extensão", afirma o vereador."Cem quilômetros é pouco, mas é o início de um trabalho e uma demonstração de vontade política", afirma Arturo Alcorta, conselheiro do Instituto Pedala Brasil. "Para uma cidade que parte do zero, é um avanço brutal", ressalta. "Bogotá (Colômbia) tem aproximadamente 300 quilômetros e Berlim (Alemanha), 625 quilômetros."Alcorta ressalta, porém, que a implementação de ciclovias devia ser utilizada como uma forma de reorganizar o espaço urbano, reduzindo o espaço dos veículos e não de calçadas ou áreas verdes. "A gente ainda não entrou nessa fase, como acontece lá fora. Atualmente, a cidade é toda planejada para automóveis."VIAGENSNa última década, o número de viagens de bicicleta dobrou na Região Metropolitana de São Paulo, para cerca de 345 mil por dia, em 2007. A maioria dos ciclistas (70%) utiliza esse meio de transporte para ir ao trabalho. Outros 12 % vão de bicicleta à escola. Os dados, retirados da Pesquisa Origem-Destino do Metrô, mostram que a bicicleta ainda tem participação marginal nos deslocamentos em relação a outros meios - responde por 0,78% das viagens em transportes não motorizados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.