Prefeitura quer ajudar a desativar Carandiru

A prefeitura de São Paulo está disposta a ajudar o governo paulista a desativar o Complexo do Carandiru, que abriga cerca de 7 mil presos, na zona norte da capital paulista. A proposta de cooperação da prefeitura será encaminhada amanhã aos secretários estaduais do Planejamento, André Franco Montoro Filho, e do Governo e Gestão Estratégica, Antonio Angarita. A informação é da prefeita Marta Suplicy (PT).Segundo Marta, a proposta da prefeitura é a de realizar um replanejamento urbano na área onde o Carandiru está localizado. "O terreno do Carandiru é do Estado, mas se a prefeitura reurbanizar a região vai atrair investimentos, que virão em ´cash´, e esse dinheiro a prefeitura dá para o Estado sumir com o Carandiru de lá", afirmou Marta. Dessa maneira, segundo a prefeita, o dinheiro que a prefeitura passará ao Estado vai possibilitar que o governo paulista construa outros presídios em outras cidades do interior.Marta disse ainda que os secretários municipais, Rui Falcão (Governo) e Jorge Wilheim (Planejamento Urbano), farão amanhã outras propostas de parceria entre a prefeitura e o governo paulista. No entanto, ela não quis antecipar quais seriam as propostas. No mês passado, o governo paulista acertou a liberação de R$ 180 milhões para a construção de piscinões, casas populares e centros de detenção Provisórias (CDPs). Pela parceria, a Prefeitura cederia os terrenos para que o governo do Estado realizasse as obras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.