Prefeitura quer pôr Sesc na agenda de CEU

Kassab contesta dados da gestão Marta que apontam queda de 42% da frequência à rede

Bruno Paes Manso e Mônica Cardoso, O Estadao de S.Paulo

05 de maio de 2009 | 00h00

A Secretaria Municipal de Educação de São Paulo pretende firmar parceria com o Serviço Social do Comércio (Sesc) para ajudar na gestão da programação cultural dos 42 Centros Educacionais Unificados (CEUs). "Ainda não assinamos nada, mas já iniciamos as conversas para firmar a parceria", afirmou o secretário de Educação, Alexandre Schneider.Ontem, reportagem do Estado revelou que a quantidade de pessoas que assistiu a sessões de cinema, peças de teatro, eventos musicais e outras atividades nos CEUs caiu 42% na gestão do prefeito Gilberto Kassab (DEM) em relação ao governo de Marta Suplicy (PT). A rede, no entanto, saltou de 21 para 42 unidades. Entre agosto de 2003 e dezembro de 2004, na gestão Marta, os 21 CEUs receberam em média 165 mil pessoas por mês. Entre agosto e dezembro de 2008, período escolhido para divulgação pela gestão Kassab, a média caiu para 96,4 mil, tendo a rede 32 unidades na época.Schneider voltou a dizer que não reconhece os números apresentados pela gestão passada em relação à frequência nos CEUs. A mesma afirmação foi feita por Kassab. O prefeito disse ontem que é preciso aferir as comparações do número das atividades culturais nos CEUs entre o atual governo e o anterior. "Eu questiono os dados da gestão anterior", disse.Os dados foram obtidos pelo Estado no relatório da Fundação Instituto de Administração da USP, de 2004. Maria Aparecida Perez, secretária Municipal da Educação durante a gestão Marta, disse que os números e relatórios foram fornecidos às equipes que participaram da transição para o governo José Serra (PSDB). NÚMEROS165 mil pessoas assistiram a atividades culturais nos CEUs entre agosto de 2003 e dezembro de 200496,4 mil foi a média de público entre agosto e dezembro de 2008 21 CEUs foram construídos durante a gestão Kassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.