Prefeitura recadastra 7 mil perueiros

A São Paulo Transporte (SPTrans) iniciou nesta segunda-feira o recadastramento dos perueiros da capital paulista. Cerca de 7 mil motoristas devem apresentar a documentação para circular nos próximos seis meses.O recadastramento foi anunciado em 21 de março pelo secretário municipal de Transportes, Carlos Zarattini, que anulou a licitação que regulamentaria o trabalho de 4.042 perueiros na cidade. Zarattini disse nesta segunda-feira que uma nova licitação deve atrasar. Devem ir até a SPTrans os motoristas que participaram desse processo e os chamados "faixa azul", que foram licenciados em 1998, na gestão de Celso Pitta (PTN).O trabalho deve durar um mês e serão atendidos 300 motoristas por dia. Os perueiros que se recadastrarem vão passar, a partir do dia 11, por um treinamento para saber lidar com os passageiros. O próximo passo é a vistoria veicular, que começa no dia 23. O movimento foi tranqüilo nesta sewgunda-feira no Pari, onde 20 funcionários foram mobilizados para o atendimento, das 8 às 16 horas.Para J.D.O., de 63 anos, a Prefeitura devia ter avisado antes sobre o processo. "Tinham de dar fôlego para ler o jornal", diz ele, que está há 12 anos na profissão.A lista com os nomes dos motoristas e os dias em que devem se recadastrar foi publicada na quinta-feira, no Diário Oficial do Município. Com o processo concluído, os lotações vão circular com uma faixa colorida que identifica a área de trabalho - a cidade foi dividida em seis regiões, com exceção do centro -, além de um adesivo da SPTrans. A nova licitação para a regularização de 4.042 perueiros deve ficar pronta no fim do ano. Segundo o secretário Carlos Zarattini, dificilmente a Prefeitura conseguirá cumprir o prazo de 180 dias para a conclusão da nova licitação."Provavelmente teremos de prorrogar mais uma vez", disse Zarattini, nesta segunda, após reunião com a prefeita Marta Suplicy (PT).Em 60 dias, o edital para a concorrência estará concluído, mas, os 120 dias restantes não devem ser suficientes para a conclusão do processo. Zarattini manteve mistério sobre possível aumento da tarifa. Em dez dias, deve estar concluído estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) sobre as despesas do transporte. "Só depois de sabermos o custo real das empresas é que tomaremos uma decisão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.