Prefeitura retoma terreno e destrói favela no Recife

A Prefeitura de Recife, com o apoio de 200 guardas municipais e 80 soldados do Batalhão de Choque da PM, desocupou e destruiu neste domingo, 25, cerca de 300 barracos em uma área conhecida como favela do Pantanal, no bairro de Joana Bezerra, zona sul da cidade. Apesar dos muitos protestos e do clima tenso, não houve registro de confronto. A operação de reintegração de posse do terreno, da prefeitura, começou por volta das 6 horas e terminou no começo da noite.De acordo com o secretário municipal de Habitação, Carlos Padilha, a ocupação no local começou em 1985 e há pelo menos dois anos a retirada das famílias vinha sendo negociada, sem sucesso. Durante todo o dia, funcionários das secretarias municipais de Obras, Habitação e Saneamento, trabalharam na demolição dos barracos. Dois tratores foram utilizados na operação. A prefeitura ofereceu caminhões para que as famílias pudessem levar seus pertences para a casa de amigos, parentes ou para um abrigo municipal. "Estamos procurando terrenos em vários pontos da cidade para tentar viabilizar a construção de imóveis regulares", afirmou Padilha.A área onde estava localizada a favela Pantanal pertence ao município. Parte das famílias estava instalada sob o viaduto Joana Bezerra, que liga a zona sul ao centro do Recife. A desocupação começou por volta das 6h, com a chegada do Batalhão de Choque, Guarda Municipal e de um oficial de Justiça, que apresentou a uma comissão de moradores cópia do mandado de despejo, expedido pelo desembargador Jones Figueiredo, do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Apesar dos apelos de alguns moradores, após uma rápida reunião entre representantes da prefeitura e a comissão de moradores, o processo de despejo foi iniciado. Para evitar novas ocupações, uma viatura da Polícia Militar ficará no local até que a administração municipal comece as obras de revitalização da área. A prefeitura não informou que tipo de obras serão feitas no local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.