Prejuízo da Eletrobrás pode chegar a R$ 3 milhões

O presidente em exercício da Eletrobrás, José Drummond Saraiva, calcula em R$ 2 milhões a R$ 3 milhões o prejuízo com o incêndio que atingiu a sede da estatal. Saraiva informou que todas as informações corporativas estão preservadas e, portanto, o acidente não irá prejudicar o funcionamento da empresa. Foram afetados, segundo ele, os setores de acompanhamento de empresas federalizadas, de relações internacionais, de comunicação social, de jurídico, de auditoria e de engenharia.Saraiva disse ainda que o fogo começou no décimo sétimo andar, que não possui "sprinkler" (chuveiros que são acionados pelo calor de incêndio) e nem havia passado pela reforma da parte elétrica pela qual passaram a maioria dos outros andares.A Eletrobrás entrou em contato com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e as Bolsas onde os títulos das empresas são negociados (São Paulo, NovaYork e Madri) para tranqüilizá-las quanto ao funcionamento da empresa.Leia maisIncêndio destrói parte de prédio no centro do RioParte do prédio da Eletrobrás pode desabarFalta de água atrapalha serviço dos bombeiros no RioSetenta soldados combatem incêndio no RioPrédio do Rio foi reformado e tem brigada de incêndioIncêndio no prédio da Eletrobrás está controladoHá risco de a parte externa do prédio da Eletrobrás desabar?Com resfriamento, concreto fica fragilizado?, diz Crea-RJFogo pode ter começado em condicionador de arSecretário de Defesa Civil não vê risco de desabamentoEngenheiros descartam colapso de prédio da EletrobrásRecomeça o fogo no prédio da EletrobrásExplosão aumenta o fogo no prédio da EletrobrásCombate ao fogo na Eletrobrás deve continuar à noite

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.