Prejuízo da GOL dispara para R$687 mi no 4o trimestre

A Gol Linhas Aéreas informou na madrugada deste sábado um prejuízo líquido de 687,1 milhões de reais no último trimestre de 2008, ampliando sensivelmente resultado negativo de 6,5 milhões de reais sofrido no mesmo período do ano anterior.

REUTERS

21 de março de 2009 | 09h58

A companhia, que divulgou resultados no padrão contábil IFRS, anunciou ainda que seu conselho de administração aprovou aumento de capital de 203,5 milhões de reais, mediante a emissão de 6.606.366 ações ordinárias e 19.487.356 ações preferenciais, a 7,80 reais por papel. A operação foi aprovada para "fortalecer sua estrutura de capital, reafirmando seu plano de crescimento de longo prazo".

A empresa ainda reviu suas projeções para 2009, reduzindo a estimativa de crescimento do mercado brasileiro de 6 por cento para uma faixa de 2 a 4 por cento, diante de "uma nova taxa de câmbio e combustível, adicionalmente, em função do cenário macroeconômico".

Ainda de acordo com as novas projeções da empresa, a estimativa para número de passageiros transportados caiu de 29 para 28 milhões. Mas a empresa manteve a expectativa de encerrar este ano com frota de 108 aeronaves.

Em termos de preços de combustível, a empresa vê agora cotação de 1,62 real por litro ante a estimativa anterior de 1,90 real. A previsão de taxa de câmbio média, passou de 1,95 real por dólar para 2,29.

A segunda maior empresa aérea do país informou que o resultado do trimestre passado foi impactado pela valorização do dólar, que gerou um efeito negativo de 501,9 milhões de reais sobre ativos e passivos em moeda estrangeira.

No acumulado de 2008, a Gol sofreu um prejuízo líquido de 1,387 bilhão de reais, invertendo resultado positivo em 2007 de 272,26 milhões de reais.

A geração de caixa no trimestre passado medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e leasing de aeronaves (Ebitdar, na sigla em inglês) somou 296,5 milhões de reais acima dos 110,2 milhões de reais obtidos no quarto trimestre de 2007. Enquanto isso, a margem subiu 11,8 pontos percentuais, para 19,2 por cento.

A empresa citou ainda lucro operacional nos últimos três meses de 2008 de 53,9 milhões de reais, contra resultado negativo um ano antes de 78,2 milhões de reais.

No período a receita líquida avançou 5,2 por cento, para 1,55 bilhão de reais.

As ações da Gol encerraram a sexta-feira em queda de 3,7 por cento, cotadas a 7,80 reais. Nos Estados Unidos, os papéis da empresa recuaram 3,9 por cento.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASGOLRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.