Prejuízo de morte de frangos por calor pode chegar a R$ 30 mil

Os prejuízos causados pela morte de cerca de 8 mil frangos, por calor, na tarde desta quinta-feira na granja Nossa Senhora de Fátima, em Meridiano, na região de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, foram estimados entre R$ 25 mil e R$ 30 mil. Uma queda de energia elétrica por mais de 6 horas paralisou os ventiladores que arejavam os barracões das aves, que não agüentaram a alta temperatura e acabaram morrendo. Ontem, chegaram a ser anunciadas a morte de 30 mil aves, mas o número foi corrigido na tarde desta sexta, 3.O dono da granja, Odmir Waideman Puga, explicou que as aves precisam dos grandes ventiladores, instalados nos barracões, para enfrentar a alta temperatura da região. "O calor passava dos 30 graus centígrados nos barracões e as aves, que estão adultas, não resistem sem essas máquinas", disse.Falta de energiaDe acordo com Puga, a falta de energia começou às 12h30 e por volta das 17 horas as aves começaram a morrer. Ele disse que os frangos, criados em sistema de parceria com um frigorífico da região, seriam abatidos em 10 dias. O consultor Newton Azambuja, da Elektro, concessionária da região, disse que a falta de energia foi causada pelo rompimento de cabos que abastecem a zona rural de Meridiano. Segundo ele, os funcionários da Elektro tiveram dificuldades para localizar o local onde os cabos se romperam e por isso demoraram a reparar o dano. Ele garantiu que, se o dono da granja comprovar que os frangos morreram por falta de energia, a Elektro vai ressarci-lo dos prejuízos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.