Prejuízo em estacionamento deve chegar a R$ 200 mil

Ontem foi dia de limpeza e de contar prejuízos no estacionamento da Rua Gentil Moura, no Ipiranga, zona sul. Por causa da chuva de anteontem, o muro do estabelecimento cedeu e desabou. Três automóveis caíram sobre três casas, que foram interditadas pela Defesa Civil. Os moradores estão abrigados com familiares. A casa do segurança José Carlos da Silva, de 31 anos, foi a mais afetada pelo desmoronamento. Ele contou que a água chegou a 2 metros de altura. Na hora do acidente, sua mulher e seus três filhos - um bebê de 9 meses, um menino de 2 anos e uma menina de 5 - estavam no imóvel. "Para salvar as crianças minha mulher colocou os três em cima da cama. A cama começou a boiar. O bebê caiu na água. Minha mulher o salvou", contou. Silva agora recomeçará do zero. No interior da casa quase tudo foi perdido. "Tem de trabalhar para recuperar tudo."Para o dono do estacionamento, que não quis se identificar, o acidente foi uma tragédia anunciada. "Desde que começaram as obras do Metrô, as rachaduras começaram a aparecer, formou-se uma bolha no asfalto e a água não escoa mais", afirmou. O proprietário disse que engenheiros do Metrô passam nos estabelecimentos quase todos os dias. "Eles veem as rachaduras e dizem que elas já estavam nas paredes antes do início das obras", disse ele que há 19 anos mantém o estacionamento. Em nota, o Metrô nega a relação.Três carros estavam parados no estacionamento quando o muro cedeu: um Honda Fit, um Celta e um Gol. Todos caíram sobre os imóveis. Os veículos tiveram perda total e o prejuízo deve chegar a R$ 200 mil. O comerciante disse que processará os responsáveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.