Prejuízos com roubo de carga atingiram R$ 215 milhões em 2001

O roubo de cargas deu às empresas de transportes prejuízo de R$ 215,3 milhões no ano passado, 10,2% a mais do que em 2000 (R$ 195,4 milhões). Isso significou aumento de R$ 19,9 milhões nas perdas. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo e Região (Setcesp), que representa 6 mil transportadoras.O número de ocorrências cresceu 15,9% no ano passado, em relação a 2000: de janeiro a dezembro, foram registrados 2.653 casos, o que resultou em uma média mensal de 221 roubos. Já no ano de 2000 houve 2.288 registros, resultando em uma média de 190 casos por mês. Houve, no ano passado, 1.034 casos de roubo de cargas somente na cidade de São Paulo, segundo o Setcesp.De acordo com o levantamento do sindicato, os produtos mais roubados foram os alimentícios (469 registros), seguidos das cargas fracionadas (371), combustíveis (351), cigarros (279) e eletroeletrônicos (172). As rodovias com maior incidência de roubo em São Paulo foram: Anhangüera (153 casos), Dutra (119) e Régis Bittencourt (87).Para fazer o cálculo, o Setcesp utiliza dados de transportadoras associadas e não-associadas e das empresas de seguro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.