Prejuízos da chuva em Paraty podem chegar a R$ 15 milhões

Estimativa é da Defesa Civil da cidade fluminense; para recuperar município serão necessários cerca de 90 dias

Agência Brasil,

14 de janeiro de 2009 | 15h49

Os prejuízos causados pela enchente que atingiu o município de Paraty, no sul fluminense, no último sábado, podem chegar a R$ 15 milhões, conforme informou nesta quarta-feira, 14, o coordenador da Defesa Civil municipal, Antônio Tavares. Com a tromba d'água que caiu, o Rio Perequê-Açu, o principal da região, subiu 8 metros e deixou 12 bairros que ficam à sua margem alagados.   Veja também: Já são 84 as cidades de Minas em situação de emergência SC libera R$ 3,2 milhões para municípios atingidos pela chuva Todas as notícias sobre vítimas das chuvas       Pelo menos mil pessoas ficaram desalojadas e 50, desabrigadas. Além disso, calçadas, muros e pontes foram destruídas. O centro histórico do município, famoso por sediar a Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, também foi atingido. Segundo Tavares, serão necessários aproximadamente 90 dias para a cidade se recuperar. "Estamos trabalhando muito para recuperar a cidade, mas a destruição foi muito grande, principalmente as obras públicas. Vamos levar um bom tempo para restabelecer a ordem", afirmou.   O abastecimento de água no município também foi interrompido, já que a rede de distribuição foi danificada. Segundo Tavares, os serviços de reparo deves ser concluído até o fim desta tarde. Enquanto isso, para minimizar os impactos causados à população, a prefeitura contratou dez caminhões-pipa e conseguiu, com municípios vizinhos, o empréstimo de outros dez.   A cidade ainda está em situação de emergência, mas, de acordo com a prefeitura, não há mais moradores desabrigados ou desalojados. Além de Paraty, no sul do Estado, 12 municípios das regiões norte e noroeste do Rio foram atingidos pelas fortes chuvas das últimas semanas, levando suas prefeituras a decretar situação de emergência. Uma outra, Cardoso Moreira, ficou em estado de calamidade pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.