Prepare-se para surpresas hoje

Além dos 800 eventos oficiais, artistas independentes prometem performances de dança, música e circo

Livia Deodato e Bruna Fasano, O Estadao de S.Paulo

26 Abril 2008 | 00h00

Preste atenção nas ruas, prédios e até no céu hoje durante a Virada Cultural. Acima de sua cabeça, a seu lado na rua ou durante os shows, acontecerão vários tipos de intervenções artísticas. Ontem à noite, uma dupla circense do Acrobáticos Fratelli, montada em cima de uma bicicleta, já sobrevoou o Viaduto do Chá, presa a cordas de aço e um balão. Atrás do palco de dança, Martin Sabatino, também dos Fratelli, atravessou o Vale do Anhangabaú em uma tirolesa sobre pernas-de-pau, descendo, em seguida, 130 metros de rapel. " Foi uma coisa louca, maravilhosa. Começar a Virada desse jeito, entre os melhores artistas do Brasil, não tem coisa melhor", disse Sabatino. Seus próximos sobrevôos estão marcados para 11h30 e 16h30 de hoje Dois guindastes fixos entre as Ruas Xavier de Toledo e Consolação e também na Ladeira da Memória, em frente do Teatro Municipal, terão apresentações a cada 20 minutos. Os locais receberão móbiles humanos, grupos de performances e dançarinos pendurados nas ferragens, jogos de capoeira suspensos e artistas executando movimentos de malabarismo presos a longos tecidos e cordas. Pelas ruas, sem endereços fixos, o público também poderá ser surpreendido por mágicos, malabaristas, poetas, cuspidores de fogo e mímicos. Ou gente dançando. Na noite de ontem, divertidas aulas de forró, zouk, salsa, rock soltinho e samba de gafieira fizeram cerca de 200 pessoas, entre jovens e idosos, bailarem na Rua Epitácio Pessoa, ao lado do Hotel Hilton, das 19h30 à meia-noite. As irmãs Suely e Maira da Conceição Silva adoraram o bailinho. "Estou achando muito bacana", completou Flavia Padeti, de 28 anos, em frente do palco, prestando atenção ao passo-a-passo do professor do rock soltinho com o amigo Gonçalo Pires, de 24. A Virada terá ainda um globo da morte. Uma grande gaiola em frente da Galeria do Rock, na Rua 24 de Maio, abrigará a apresentação Homos Artísticos. O artista enjaulado tocará piano digital e guitarra elétrica e pintará quadros com spray. Perto dali, em outra galeria, a Olido, o grupo francês Générik Vapeur fará a escalada do prédio iluminado. E dez estátuas vivas permanecerão em tempo integral no Viaduto do Chá. Ainda no centro, o grupo Pia Fraus fará espetáculo com bonecos infláveis gigantes. E um grupo de manipuladores de marionetes, dançarinos de jazz moderno e instrumentistas promete percorrer as ruas da região. Eles terminarão suas apresentações na Praça do Patriarca. Tudo, claro, sem você estar esperando. E, se quiser curtir em grande estilo o encerramento da maratona cultural, escolha entre os shows de Jorge Benjor, na São João, Ultraje a Rigor, na República, e Jair Rodrigues, Fabiana Cozza & Zimbo Trio, no Municipal. Tudo às 18 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.