Presa "carcereira" de sequestrados

A ?carcereira? Luciana Afonso Nunes, de 21 anos, foi presa, na quinta-feira, próximo do Largo 13 de Maio, na zona sul de São Paulo, acusada de integrar a quadrilha responsável pelo seqüestro de dois libaneses, que foram libertados no final de semana passado, além do filho do reitor da Unicsul e um comerciante. Agora sobe para três o número de seqüestradores presos desse grupo de criminosos.Policiais da Divisão Anti-Seqüestro (DAS) acreditam que a quadrilha, que tinha como quartel-general o bairro do Parque Cocaia, na zona sul, seja responsável por pelo menos quatro seqüestros. ?Uma vítima a reconheceu?, disse o delegado Antonio Carlos Heib, da DAS.Há cerca de duas semanas os libaneses, Mohamed Hossein Rihaj e Jamel Hossein El Bacha foram seqüestrados. Graças a uma denúncia anônima, a polícia conseguiu estourar o cativeiro e prender dois integrantes da quadrilha. "Se não fosse as televisões terem entrado ao vivo, com certeza teríamos prendido mais gente", disse um policial.Entre os presos estavam a mãe de Luciana, Sirlene Afonso Silva, conhecida como Preta, de 43 anos, e o ajudante-geral Jeffti Oliveira Lima, de 23 anos.Os policiais da DAS receberam informações de que Luciana poderia estar avenida Adolfo Pinheiro. Eles foram até lá e encontraram a seqüestradora. Ela estava em companhia do namorado. O casal estava parado numa barraquinha de pastel, que pertence ao tio de Luciana. A polícia não soube informar qual seria o motivo da conversa.Ao ser abordada pelos investigadores, ela teria se identificado como Paula. Mas acabou confessando o nome verdadeiro. Segundo os policiais, Luciana já tem passagem por receptação de roubo. Ela foi atuada por extorsão mediante seqüestro e poderá pegar entre 12 anos e 20 anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.