Presa no RJ quadrilha que fraudava Previdência

Agentes da Delegacia de Prevenção e Repressão a Crimes Previdenciários (Deleprev) da Polícia Federal (PF) prenderam na tarde desta quinta-feira seis integrantes de uma quadrilha que fraudava a Agência da Previdência Social de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro.Os presos são Maristela Aparecida de Azevedo, de 44 anos, chefe da agência, os funcionários Valentim Deoclesiano Saraiva, 60, Nanci Pedro, 48, Cláudia Sales Neto Cardoso, 44, e Jacira de Oliveira Rezende Reis, 49, além de Jornete Carvalho da Silva, 47, ex-contratada do INSS.Eles responderão pelos crimes de formação de quadrilha e inserção de dados falsos no sistema de informação da Previdência e poderão ser condenados a até 15 anos de prisão. De acordo com a PF, a modalidade de crime praticada pela quadrilha é inédita no País. Eles foram presos durante diligência da PF na agência.Saraiva, Nanci, Claudia, Jacira e Jornete foram flagrados em uma sala trancada, quando inseriam dados fictícios para gerar benefícios fraudulentos no sistema Dataprev. Em uma das mesas da sala, a polícia apreendeu a lista com os dados falsos e R$ 125 mil (R$ 35 mil em dinheiro e R$ 90 mil em cheques).Há dois anos, uma força-tarefa formada por policiais federais, auditores do INSS e procuradores da República trabalham na repressão a crimes previdenciários. Até agora, 180 pessoas foram presas e 286 indiciadas. A investigação que resultou nas prisões de quinta-feira vinha sendo feita há dois meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.