Presa quadrilha que adulterava combustível em Guariba

A polícia de Guariba, na região de Ribeirão Preto, prendeu hoje nove pessoas - quatro motoristas e cinco frentistas - suspeitas de participar da adulteração de combustíveis em caminhões que saíam das usinas próximas e que passavam no Auto Posto do Engenho, no km 326 da Rodovia Brigadeiro Faria Lima. Até 300 litros de álcool eram retirados dos caminhões e substituídos por água. Os acusados foram indiciados ainda por sonegação fiscal, furto e formação de quadrilha. Depois de uma denúncia anônima, a polícia, que já investigava esse tipo de crime, fez a operação e deteve todos em flagrante. O dono do posto e um motorista fugiram. Seis caminhões carregados com álcool foram apreendidos. No local, eram rompidos os lacres dos tanques e uma quantidade de álcool era retirada. O motorista recebia dinheiro por isso. Depois, era colocada uma quantia menor de água, para dar o peso (o álcool pesa menos que a água). Em seguida, novos lacres eram fixados nos tanques para não levantar a suspeita. O delegado Carlos Alberto Gomes da Rocha Silva começou a fazer a ocorrência no final da tarde na delegacia. O crime de sonegação fiscal deve-se às notas emitidas com destino à Bahia (IMCS de 7%), mas o álcool ficava no Estado de São Paulo, que tem alíquota de São Paulo maior. Os caminhões eram carregados, principalmente, nas usinas Bonfim, em Guariba, e Santa Adélia e São Carlos, ambas em Jaboticabal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.