Presa que ficou 9 dias algemada em cadeira é transferida

Clenúbia de Souza, de 29 anos, foi detida com o companheiro com 14 pedras de crack

Clodoaldo Corrêa, Especial para o Estado

27 de fevereiro de 2014 | 19h22

SÃO LUÍS - A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão transferiu para um presídio feminino, nesta quinta-feira, 27, a presa Clenúbia de Souza, de 29 anos, que estava havia nove dias algemada a uma cadeira na delegacia por falta de vagas em uma penitenciária. Às 13 horas, ela foi levada para o Completo Penitenciário de Pedrinhas, na capital.

Clenúbia foi detida em Codó (município a 220 quilômetros de São Luís) no dia 19, com o companheiro, Juscelino Borges da Silva. Os dois carregavam 14 pedras de crack. Com a prisão preventiva decretada, o casal ficou na delegacia. Silva foi levado para uma cela e a mulher, algemada a uma cadeira.

O delegado regional de Codó, Rômulo Vasconcelos, argumentou que as mulheres presas eram levadas antes para a delegacia de Coroatá (a 178 km de São Luís). Porém, um incêndio durante um motim destruiu a delegacia há pouco mais de um ano, e a delegacia nunca foi recuperada.

A Secretaria de Segurança do Maranhão alegou que desconhecia a situação e, por isso, ainda não havia feito a transferência.

Mais conteúdo sobre:
Presídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.