Presas fazem rebelião em Itaberá, no sudoeste paulista

As 44 presas da Cadeia Feminina de Itaberá, no sudoeste paulista, a 315 km da capital, rebelaram-se no início da noite de segunda-feira. As detentas deixaram as celas, amontoaram e queimaram os colchões e depredaram as instalações para exigir a transferência para outra unidade. As detentas reclamaram da superlotação, já que a unidade tem capacidade para 24 presas. As mulheres protestaram também contra a falta de atendimento médico e de assistência judiciária. O motim só foi controlado na madrugada de terça-feira.Duas presas passaram mal por conta da fumaça e receberam atendimento médico, mas ninguém ficou ferido. O diretor da cadeia, Hélio de Souza Júnior, afirmou que as líderes da rebelião foram identificadas e colocadas em celas isoladas. O delegado seccional de Itapeva, Hamilton Gianfratti, informou que parte das presas será transferida esta semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.