Presas suspeitas de crime em Petrópolis

O crime bárbaro que vitimou há cinco dias quatro pessoas de uma mesma família, em Petrópolis (RJ), pode ter sido planejado por uma amiga das vítimas, segundo o delegado que investiga o caso, Antônio Silvino. Ana Maria da Mota, de 33 anos, amiga íntima de duas das vítimas, o casal Maurício dos Santos, de 44 anos, e Rosimeri Bassane, de 35, foi presa na noite de ontem com outras quatro mulheres e é apontada como a mentora da ação.Na noite do crime, ela atraiu a atenção de Rosimeri até o portão da casa, onde a vítima foi dominada e levada para dentro de casa. No interior da residência, junto com o marido e os pais, ela foi amordaçada e morta a tiros. Os quatro homens que executaram o serviço, traficantes da Favela do Jacarezinho, zona norte, ainda estão sendo procurados. Ontem de manhã, policiais civis vasculharam o morro em busca dos criminosos, mas eles não foram localizados. "Com certeza, eles já foram avisados que estamos à sua caça e fugiram", contou o delegado.Segundo o delegado responsável, as mulheres detidas confirmaram que a casa foi invadida para que as jóias em ouro vendidas por Santos e Rosimeri, avaliadas em R$ 30 mil, fossem roubadas. Além de Ana Maria, foram presas Mara Lúcia Lameira Diniz, de 48 anos, e Joanacir de Almeida da Silva, de 36 anos, ambas acusadas de tráfico de drogas, que teriam recrutado os bandidos de Jacarezinho. Também foram detidas a filha de Mara Lúcia, Cristiana Diniz, de 30 anos, e Eliane Braun, de 20 anos. Elas teriam ajudado a planejar a ação. Na casa de Ana Maria, foi encontrado o aparelho de TV roubado da casa; na de Eliane, estava o outro televisor; na de Mara Lúcia, um videocassete, munição para pistola e revólver, e 147 papelotes de cocaína. As jóias estão desaparecidas. Mara Lúcia já tem uma condenação não cumprida de 20 anos de prisão por roubo seguido de morte. O delegado responsável ainda não sabe quem teve a idéia do crime. "Mara Lúcia culpa Ana Maria e vice-versa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.