Presidente acusa imprensa brasileira de 'inventar'

O presidente Lula voltou ontem a investir contra a imprensa. "Liberdade de imprensa é sagrada para fortalecer a democracia, mas não significa que se deve inventar", afirmou, durante inauguração em Porto Nacional (TO).

Jocyelma Santana, Especial Para o Estado, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

Lula vem numa escalada de ataques aos meios de comunicação. O motivo são as denúncias que ligam a Casa Civil da Presidência a tráfico de influência. O caso derrubou a ministra Erenice Guerra, braço direito da presidenciável Dilma Rousseff (PT), potencial prejudicada pelo escândalo.

Em seu discurso, porém, o presidente preferiu ignorar as evidências de irregularidades mostradas pela mídia brasileira e se amparar na imprensa internacional. "Não tem uma revista internacional que não tenha a capa elogiando a economia e o governo brasileiros."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.