Presidente confirma petista no comando da Embratur

Mesmo com decisão de suspender distribuição de cargos no 2º escalão, duas nomeações são publicadas no ''DO''

Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2011 | 00h00

Dois dias depois de Dilma Rousseff suspender as nomeações para o segundo escalão do governo, dois nomes - um deles ligado ao PT - foram confirmados. Mario Augusto Lopes Moysés permanecerá na presidência da Embratur, cargo que acumulava com a secretaria executiva do Ministério do Turismo.

Moysés é ligado à petista e senadora eleita Marta Suplicy. Trabalhou com ela na Prefeitura de São Paulo e foi seu chefe de gabinete no mesmo ministério. Em seu lugar na secretaria executiva entra Frederico Costa, que dirigia a Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo. A nomeação deles foi publicada ontem no Diário Oficial da União.

A escolha de Moysés ocorre depois de uma disputa entre PT e PMDB pelo comando da Embratur, um dos fatores desencadeadores da crise entre os dois partidos pelo comando do segundo escalão. Os peemedebistas queriam emplacar o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB). O PT levou a melhor. E, apesar da ordem de Dilma para interromper as nomeações, a confirmação de Moysés já era esperada.

Como ficou com a indicação do ministro do Turismo (deputado Pedro Novais), o PMDB evitou estender a briga. O partido espera, agora, entrar num acordo com o PT em torno do nome do novo presidente da Funasa. O cargo era do PMDB no governo Lula. Pressionado pelos peemedebistas, o ministro da pasta, Alexandre Padilha (PT), tenta entrar em acordo. Em conversas com o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves, e com o deputado eleito Danilo Forte (PMDB), ex-presidente da Funasa, Padilha negocia um nome de consenso, que deve ser técnico e de dentro da própria fundação. A indicação pode sair hoje, quando eles terão uma nova conversa para discutir o assunto.

Substituto de Moysés na secretaria executiva do Ministério do Turismo, Frederico Costa dirigia a Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo. Chegou ao governo pelas mãos do PTB e tem diálogo com o PMDB. Em dezembro, o Estado mostrou que Costa liberou recursos públicos para a Rio Quente Resorts, rede hoteleira de Goiás administrada por seu irmão Francisco Costa Neto. O grupo foi um dos beneficiados com verbas do Fundo Geral de Turismo (Fungetur), ligado à Secretaria do Ministério do Turismo.

Apesar de os empréstimos com dinheiro do Fungetur serem liberados por instituição financeira pública, as diretrizes e a política de investimento são definidas pelo Departamento de Financiamento e Promoção de Investimento, subordinado à secretaria então comandada por Costa. O secretário nega qualquer interferência na liberação de recursos do fundo e participação acionária ou na gestão do empreendimento.

Funai. O atual presidente da Funai, Marcio Meira, foi confirmado ontem no cargo. Paulo Abrão, que presidia a Comissão de Anistia, vai para a Secretaria Nacional de Justiça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.