Presidente da Anac também reza pelo fim da crise aérea

A exemplo do ministro da Defesa, Waldir Pires, que na terça-feira afirmou que reza para que os problemas nos aeroportos sejam solucionados, o presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, admitiu nesta terça-feira fazer o mesmo para que o problema de atrasos e cancelamentos de vôos não ocorra mais."Se tudo der certo, e evidentemente a gente sempre reza também, do ponto de vista técnico, as medidas foram tomadas para que os usuários tenham um fim de ano muito tranqüilo", afirmou Zuanazzi, que participa durante a manhã da Reunião do Conselho Estadual de Turismo do Rio de Janeiro, na sede da Fecomércio, no bairro do Flamengo, zona sul do Rio.O presidente da Anac afirmou que tudo está caminhando para que tenhamos um Natal mais tranqüilo com a entrada de novos controladores, que estavam aposentados, e que já deverão começar a trabalhar. Ele também informou que os novos profissionais que estão sendo contratados por concurso deverão iniciar as atividades na entrada de 2007."Estamos em uma situação boa, e podemos com certeza, a partir de fevereiro e março, estar em uma situação ideal", disse. Quando questionado sobre as declarações do ministro Waldir Pires de que ele reza para a solução dos problemas, Zuanazzi afirmou que o ministro estava se referindo à pane nos equipamentos do Centro de Comando do Espaço Aéreo de Brasília (Cindacta-1), ocorrido na terça-feira, 5. "Acho que foi uma expressão para dizer que temos de rezar para que não aconteça nenhuma coisa desse tipo", disse.RestriçõesZuanazzi, informou que as restrições aos vôos fretados já estão em vigor. Na segunda-feira, ele anunciou que os vôos fretados não serão autorizados de segunda a sexta, das 7 horas às 9 horas e das 17 horas às 20 horas. Nos sábados, os vôos estão liberados e nos domingos eles estão restritos após às 17 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.