Presidente da bateria da Mangueira está desaparecido

O presidente de bateria da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, Robson Roque, de 43 anos, está desaparecido desde a noite de quarta-feira. Segundo informação do disque-denúncia, ele teria sido assassinado por traficantes e o corpo estaria carbonizado em uma localidade chamada Pedreira, onde os moradores da região costumam jogar o lixo. Policiais do 4º BPM (São Cristovão) estiveram no local, mas nada encontraram.O presidente da Mangueira, Álvaro Luís Caetano, disse não acreditar na possibilidade de Roque ter sido morto por traficantes. "Ele é uma pessoa muito querida. Sem inimigos ou desafetos. Espero que isso seja apenas um mal-entendido", comentou. Ainda de acordo com o disque-denúncia, o suposto assassinato de Roque teria relação com a escolha da nova rainha de bateria da escola. Amanda Mattos ganhou o concurso na última sexta-feira, mas não seria a preferida dos traficantes. Ela foi aclamada por todo o público que compareceu ao evento."Não acredito nisso. A seleção da rainha é uma coisa democrática. As meninas se inscrevem de forma voluntária e a votação é feita por alguns integrantes da escola, além de jornalistas e artistas convidados", disse Caetano. O presidente da Mangueira frisou que Roque não faz parte do júri e que foi eleito para presidente da bateria em maio deste ano. "Ele apenas cuida da organização do concurso".Roque foi visto pela última vez na noite de quarta-feira, por volta das 20 horas, quando participou de uma reunião no barracão da escola. Na manhã desta quinta, não compareceu na sede da Mangueira, o que preocupou familiares e amigos. Com a ligação para o disque-denúncia, quinze policiais do 4º BPM realizaram sem sucesso buscas no Morro do Telégrafo, que faz parte do Complexo da Mangueira, na zona norte.Caetano informou que a programação de ensaios da escola será mantida. Segundo o presidente da Mangueira, Roque nasceu e foi criado no morro. "Ele foi baterista-mirim, participou do movimento Mangueira do Amanhã e já tinha sido vice-presidente de bateria", contou. Atualmente, Roque mora na Tijuca, zona norte, com a mulher e três filhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.