Presidente da Bovespa defende união das Américas

O presidente da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), Raimundo Magliano Filho, defendeu na noite desta segunda-feira a união entre as Américas para que a crise que atinge o mundo seja superada mais facilmente.Em relação à crise argentina, que segundo ele é latente, a solução mais uma vez é a cooperação entre os países das Américas. Magliano Filho defendeu um olhar globalizado para o mundo. "O mundo mudou. Existem outras culturas. Nós não podemos continuar tendo uma visão ocidentalizada", disse.Em relação ao fechamento da Bovespa nesta segunda-feira, com queda de 1,17%, Magliano Filho disse que o resultado já era esperado. "O resultado era esperado por conta do feriado em Nova York e o início dos ataques de ontem", afirmou.Ele reiterou que o mercado brasileiro teve queda substancial, mas acredita que o governo brasileiro vai superar mais esta crise. Por conta dos bombardeios dos aliados ao Afeganistão, Magliano Filho analisou que os fluxos de investimento diminuirão momentaneamente. "Mas o presidente Fernando Henrique Cardoso sabe avaliar bem e está atento e acostumado a lidar com crises. E, com essa, tiraremos ensinamentos importantes", declarou.Magliano Filho participa nesta segunda à noite do evento "O Brasil que dá Lucro".

Agencia Estado,

08 de outubro de 2001 | 21h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.