Presidente da Câmara de Porto Ferreira se entrega

O presidente da Câmara Municipal de Porto Ferreira, Luiz César Lanzoni, entregou-se nesta madrugada à Polícia de Descalvado, no interior de São Paulo. Com a prisão de Lanzoni, 10 dos 12 suspeitos de aliciamento e corrupção de menores que tiveram a prisão decretada pela Justiça já estão detidos. O delegado Maurício Rasi, que investigou o caso, disse hoje ao Bom Dia SP, da TV Globo, que há fortes indícios de que os crimes foram realmente praticados pelos suspeitos. Ele destacou que foram feitos vários reconhecimentos fotográficos pelas adolescentes vítimas dos abusos.Nesta quinta-feira, a senadora Patrícia Saboya Gomes (PPS-CE), que preside a CPI da Exploração Sexual de Menores, deve ouvir envolvidos no caso. Ela estará em Porto Ferreira acompanhada de outros quatro parlamentares. Os membros da CPI devem se reunir do Salão do Júri do Fórum de Porto Ferreira. Serão ouvidos, além do delegado, o promotor do caso, Cássio Consserino, a juíza da 1ª Vara Criminal, Suely Juarez Alonso, e a presidente do Conselho Tutelar, Neuza Conceição de Jesus Silva. A comissão também pretende colher os depoimentos de advogados das meninas que teriam sido aliciadas pelos suspeitos e o presidente interino da Câmara, Gilson Strozzi (PT).O prefeito de Porto Ferreira, André Braga (PSDB), enviou à Secretaria Estadual de Segurança Pública um pedido para que delegados especiais acompanhem as investigações sobre as denúncias de aliciamento de menores na cidade. A Secretaria de Segurança Pública ainda não se pronunciou sobre o assunto. Enquanto isso não acontece, uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) formada na Câmara investigará as denúncias, que poderão culminar com a perda do mandato dos vereadores acusados. Ontem à noite, os suplentes de vereadores tomaram posse no lugar dos parlamentares acusados dos crimes. Os advogados dos suspeitos entraram nesta quarta-feira com pedido de habeas corpus coletivo no Tribunal de Justiça, para que os suspeitos possam responder ao processo em liberdade. Todos estão detidos em Descalvado, cidade vizinha de Porto Ferreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.