Presidente da Fundação Guggenheim discute museu no Rio

Divergências entre o que foi tratado verbalmente com a diretoria da Fundação Guggenheim, em Nova York, e o que foi escrito no contrato a ser assinado com a prefeitura para a instalação de uma unidade do museu no Rio trouxeram à cidade o presidente da instituição, Thomas Krens, e o diretor do Guggenheim de Bilbao, na Espanha, Juan Inácio Vidarte.Nesta sexta-feira, eles passaram o dia reunidos com o procurador-geral do município, Júlio Horta, e os secretários das Culturas, Ricardo Macieira, e de Relações Internacionais, Raul Fernando Ribeiro, discutindo valores e questões pendentes. A conversa deve continuar neste sábado, e a decisão final só deve sair no domingo.As informações são do prefeito César Maia. Ele não detalhou o que ficou pendente, mas já havia dito que os contratos seriam assinados em Nova York, e o Guggenheim carioca custaria US$ 190 milhões (cerca de R$ 680 milhões), entre a construção e o licenciamento.Maia disse ainda que o arquiteto Jean Nouvel, autor do projeto do prédio, fechou sua participação nos trabalhos, mas não esclareceu se foi pelos US$ 10 milhões oferecidos ou quantia superior. Segundo César Maia, as cifras serão divulgadas futuramente.Caso haja um acordo, as licitações para a construção do Guggenheim serão feitas ainda este semestre, a construção começa no próximo. A obra deve durar quatro anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.