Presidente da OAB cobra eficiência da polícia

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Rubens Aprobatto Machado, chegou há pouco ao velório do prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT), assassinado ontem. Na chegada ao saguão de entrada da Câmara Municipal da cidade, Aprobatto atacou duramente a atuação da Polícia do Estado. ?Compete à polícia, que não foi eficiente na prevenção deste crime, que seja na repressão. Estamos vivendo um regime de pânico, o que prova que o trabalho da polícia não está funcionando?, declarou.Segundo ele, só leis mais rígidas não bastam, sendo preciso cobrar mais das autoridades. ?Pode até ter pena de morte para seqüestro, que mesmo assim não vai inibir a delinqüência. É preciso eficiência policial?, insistiu. O presidente da OAB enfatizou ainda a necessidade de o povo brasileiro reagir à escalada da violência. ?Como a Argentina conseguiu derrubar cinco presidentes? Simplesmente porque eles (argentinos) têm um sentido de cidadão ativo. Não podemos ser mais passivos.?Questionado sobre o motivo da execução de Celso Daniel, Aprobatto reforçou a tese de grande parte dos representantes do PT, que apostam em crime político. ?É difícil determinar a finalidade do delito, mas há coisas estranhas. Não está parecendo um seqüestro comum, já que não houve negociação e o próprio fato de ter sido uma execução pode dar uma característica de atentado político?, destacou.O sepultamento do corpo do prefeito acontece às 17 horas no cemitério de Vila Conceição. Já passaram pelo velório mais de 5 mil pessoas, segundo informações da Polícia Militar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.